Site Overlay

10 ações que pagam dividendos para investir em junho, segundo a NuInvest

A NuInvest divulgou na quarta-feira (1) sua carteira de recomendações de ações que prometem os melhores pagamentos de dividendos para o mês de junho. Para esse período, foram zeradas as posições em Ambev (ABEV3).
O analista Murilo Breder explica que a saída dos investidores internacionais nos últimos dois meses foi um vento contra os ativos da companhia de bebidas, além de que a empresa deve seguir enfrentando dificuldades em suas margens diante de uma persistente inflação. Portanto, os 5% de ABEV3 foram redirecionados para Alupar (ALUP11), empresa que já faz parte da carteira, e que agora soma 15% de exposição.
Sobre a troca de presidência da Petrobras (PETR4, PETR3), Breder explica que a “mudança aumenta as incertezas sobre o futuro da companhia. “Porém, como ainda não há nada definido e a companhia segue negociando a múltiplos super descontados, vemos sentido em mantê-la na carteira”, afirmou em relatório.
10 ações que pagam dividendos para junho, segundo a NuInvest: EmpresaCódi.. … Continue reading10 ações que pagam dividendos para investir em junho, segundo a NuInvest

Petrobras e 3R Petroleum recuam; Vale e siderúrgicas sobem forte

Entre as ações das empresas de commodities, as petroleiras Petrobras e 3R Petroleum tiveram baixo desempenho no principal indicador da B3, o Ibovespa, nesta quinta-feira (02). Já a mineradora Vale e outras siderúrgica subiram em meio ao avanço do preço do minério de ferro.
Por outro lado, os papéis da fabricante de hardware para computadores e equipamentos Positivo dominaram as altas do indicador. Na outra ponta, os ativos da resseguradora IRB tiveram a maior queda.
Confira os destaques registrados:
Commodities Na sessão desta quinta-feira, a Vale registrou valorização, assim como as siderúrgicas, após o preço do minério de ferro em Dalian atingir uma máxima de seis semanas, segundo informações da agência Reuters. Na contramão, as petroleiras caíram.
TickerCotação em R$Variação em %PETR429,76-0,87PETR332,92-0,93RRRP348,56-0,43VALE389,91,88PRIO328,71,95GGBR430,464,06CSNA322,963,52USIM311,163,81GGBR323,733,13USIM511,855,24 Positivo A Positivo (POSI3) subiu 15,33%, para R$ 8,65, em .. … Continue readingPetrobras e 3R Petroleum recuam; Vale e siderúrgicas sobem forte

Fundo contra crises se prepara para bolha de crédito estourar

Mark Spitznagel é pago para estar preparado para quando os elos mais fracos do mercado forem expostos a grandes choques.
Neste momento, o fundador da Universa Investments, cujo fundo visa proteger os clientes durante crises inesperadas, diz que o sistema financeiro está mais vulnerável à “maior bolha de crédito da história da humanidade”.
“Se essa bolha de crédito estourar, será a quebra de mercado mais catastrófica sobre a qual alguém já leu – mas vamos torcer para que isso não aconteça”, disse Spitznagel, diretor de investimentos da Universa, com sede em Miami, em entrevista. “Nós nos metemos em uma situação difícil.”
Spitznagel, de 51 anos, insiste que não é um alarmista. Ele critica há muito tempo os bancos centrais por manterem as taxas de juros próximas de zero ou mesmo negativas, o que, segundo ele, inflou os valores dos ativos e encorajou o endividamento excessivo. Autoridades de todo o mundo agora apertam a política monetária para combater a inflação elevada.
Sua advertênc.. … Continue readingFundo contra crises se prepara para bolha de crédito estourar

META11, ETF de metaverso da Hashdex, é lançado na B3

A gestora de criptoativos Hashdex anunciou nesta sexta-feira (3) a chegada do seu ETF (fundo de índice) de metaverso, o META11, na bolsa brasileira (B3). O produto oferecerá exposição aos principais criptoativos da indústria de cultura e entretenimento em blockchain. O Banco Genial, XP Investimentos, NuInvest e BTG Pactual foram os coordenadores da oferta.

O novo produto vai espelhar o “CF Digital Culture Composite Index”, que por sua vez vai investir nos principais e mais promissores ativos do metaverso. O META11 é o sexto ETF de criptoativos que a Hashdex coloca na B3. Atualmente, a gestora tem listados os ETFs HASH11, BITH11, ETHE11, WEB311 e o DEFI11.
O META11 terá taxa de administração total de 1,3%, e a Hashdex estima que o valor inicial da cota seja de R$ 50.
Outros ETFs de cripto O META11 será o sexto ETF de criptoativos que a Hashdex coloca na B3. O primeiro produto da modalidade lançado pela gestora foi o HASH11, que investe numa cesta de ativos o mercado cripto e possui.. … Continue readingMETA11, ETF de metaverso da Hashdex, é lançado na B3

Vale cai após dois pregões seguidos de alta; ações da Petrobras sobem

As ações da mineradora Vale encerraram no vermelho e puxaram para baixo o principal indicador da B3, o Ibovespa, nesta sexta-feira (03), após dois pregões seguidos de alta do ativo. Por outro lado, os papéis da petroleira Petrobras ficaram entre as principais altas do indicador.
Nesta sessão, a única empresa que teve desempenho melhor do que o da estatal foi a fabricante de cosméticos Natura (NTCO3), que teve valorização de 2,75%, negociada a R$ 17,58.
Na contramão, as ações da administradora de programas de fidelidade e plataforma de serviços financeiros Méliuz (CASH3) encerraram com a maior baixa do indicador, com desvalorização de 6,74%, para R$ 1,8.
As empresas de locação de veículos e gestão de frotas Localiza e Unidas caíram após anunciarem que vêm mantendo tratativas com um fundo administrado por afiliadas da gestora canadense de ativos Brookfield Asset Management.
No dia, 13 papéis do Ibovespa, de um total de 93, tiveram desempenho positivo. Confira os destaques registr.. … Continue readingVale cai após dois pregões seguidos de alta; ações da Petrobras sobem

Ibovespa fecha em queda com dados dos EUA e tem perda semanal; dolár cai

O Ibovespa encerrou em queda nesta sexta-feira (3), contaminando pelas preocupações acerca do ciclo de aperto monetário nos Estados Unidos, após dados do mercado de trabalho reforçarem a percepção de que a economia norte-americana permanece aquecida. Na semana, o índice acumulou declínio, interrompendo uma sequência de três altas semanais.
O dólar também fechou em baixa nesta sessão, o suficiente para manter a moeda abaixo da marca psicológica de R$ 4,80. No entanto, na semana, a cotação avançou, após três semanas consecutivas de queda.
No dia, o Ibovespa recuou 1,15%, aos 111.102 pontos, na semana, o indicador teve baixa de 0,75%. Nesta sessão, o dólar caiu 0,20%, negociado a R$ 4,7787, na semana, a moeda teve alta de 0,86%.
Cotação do Ibovespa hojeCotação do dólar hojeCotação de criptomoedas hoje A criação de vagas de emprego nos Estados Unidos superou as expectativas em maio, segundo o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira, enquanto a taxa de desemprego permaneceu em 3,6%, .. … Continue readingIbovespa fecha em queda com dados dos EUA e tem perda semanal; dolár cai

Ações da NotreDame deixam de ser negociadas na B3 em 11 de fevereiro

As operadoras de planos de saúde NotreDame Intermédica (GNDI3) e Hapvida(HAPV3) informaram, em nota divulgada na noite da véspera, que as ações da NotreDame deixam de ser negociadas na B3 a partir do dia 11 de fevereiro de 2022. O encerramento ocorre em meio à combinação de negócios entre as companhias, operação já aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), e que torna a GNDI uma subsidiária integral da HapvidaCo.
As ações correspondentes à combinação das empresascomeçam a ser negociadas na bolsa de valores no dia 14 de fevereiro de 2022, sob o ticker HAPV3. A companhia esclareceu que fará o crédito dos novos papéis nas contas dos acionistas da NotreDame no dia 16 de fevereiro de 2022. A quantia será de 5,2436 ações da Hapvida por cada papel que o investidor tiver na NotreDame.
Além disso, no dia 29 de março, os acionistas da NotreDame vão receber o valor correspondente à parcela caixa de R$ 5,126 por ação, em contrapartida ao resgate de cada uma das ações pr.. … Continue readingAções da NotreDame deixam de ser negociadas na B3 em 11 de fevereiro

Ibovespa fecha em queda, mas sobe 1,88% na semana; dólar avança

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou em queda nesta sexta-feira (21), impactado pelo tombo nas bolsas dos Estados Unidos e pela preocupação fiscal interna. Já o dólar, por sua vez, encerrou em alta.
No dia, o Ibovespa recuou 0,15%, aos 108.942 pontos. Na semana, o índice subiu 1,88%. Já o dólar avançou 0,72%, negociado a R$ 5,4542, mas fechou a semana em queda de 1,06%.
Cotação do Ibovespa hojeCotação do dólar hojeCotação de criptomoedas hoje “A volatilidade se fez presente, o que é normal em dia de vencimento de opções, mas a sessão também contou com o cenário externo ainda pressionado pelas perspectivas de alta dos juros nos Estados Unidos e preocupações com alguns balanços corporativos”, explica o economista Alexsandro Nishimura, head de conteúdo e sócio da BRA.
Cenário fiscal Investidores monitoram o cenário fiscal. Nesta sexta, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que negocia com o Congresso uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para redu.. … Continue readingIbovespa fecha em queda, mas sobe 1,88% na semana; dólar avança

As criptomoedas vão se popularizar como meio de pagamento? Especialistas opinam

Apesar de as criptomoedas terem ganhado popularidade no Brasil, fazendo o número de investidores deste tipo de ativo disparar 938% em 2021, segundo a gestora Hashdex, uma de suas funções principais, a de ser um meio de pagamento, ainda é tímida, apesar de estar em expansão, disseram especialistas ouvidos pelo InvestNews.
Ricardo Dantas, co-CEO da Foxbit, explica que as criptomoedas estão se popularizando como um todo, mas, como meio de pagamento, é algo a ser visto no longo prazo, pois trata-se de um processo mais lento, já que envolve uma mudança grande de conceitos e tem muita competição neste meio.
Dantas explica que, por mais que se fale muito de criptomoedas, ainda poucas pessoas possuem conhecimento para utilizá-las no dia a dia. Para ele, o uso prático de criptoativos ainda pode levar de 2 a 5 anos para ser uma opção comum para todos.
“Ainda temos a cultura do “lugar de dinheiro é no banco” ou “paga com o cartão”. Para a criptomoeda virar um meio de pagamento, as pessoas ain.. … Continue readingAs criptomoedas vão se popularizar como meio de pagamento? Especialistas opinam

Emissões de debêntures incentivadas batem recorde em 2021

Títulos privados isentos de Imposto de Renda (IR) que financiam projetos de infraestrutura, as debêntures incentivadas, fecharam 2021 com recorde. Depois de caírem em 2020, quando atingiram R$ 28,04 bilhões em captações, os lançamentos desses papéis somaram R$ 47,2 bilhões no ano passado.
Segundo a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia, a alta de 68,3% das emissões pode ser explicada por causa da recuperação econômica, que aumentou o número de empreendimentos financiados por esses instrumentos. O total de projetos subiu de 58 em 2020 para 124 em 2021, também batendo recorde.
Atualmente, existem R$ 167,47 bilhões de títulos desse tipo em circulação no mercado. Lançadas em 2012, as debêntures incentivadas permitem que as empresas peguem dinheiro emprestado de investidores para financiar projetos na área de infraestrutura ou projetos de investimentos em geral. No caso de empreendimentos em infraestrutura, só podem ser financiados projetos definidos como priori.. … Continue readingEmissões de debêntures incentivadas batem recorde em 2021